Skip to main content

Feimep recebe 2,5 mil pessoas

Captura de Tela 2015-07-28 às 10.16.19

O público que compareceu ao encerramento do 6º Feimep (Festival Internacional de Música Erudita de Piracicaba), no último sábado, presenciou um concerto inovador. A Orquestra Acadêmica foi conduzida por cinco alunos do Encontro de Jovens Regentes e pelo maestro Jamil Maluf. O resultado dessa experiência inédita foi uma apresentação empolgante, que destacou os novos talentos da música erudita. O concerto encerrou a programação artística do festival, que teve sete concertos e um público de 2.500 pessoas.

Os concertos, que ocorreram de 19 a 25 de julho, apresentaram no palco do Teatro do Engenho as diferentes vertentes da música instrumental. Com a abertura da OSP (Orquestra Sinfônica de Piracicaba), o Feimep teve ainda músicas italianas do século 17, o jazz cigano do Hot Jazz Club, a musicalidade dos violoncelos da Fukuda Cello Ensemble, a apresentação dos professores do festival, o solo do violinista húngaro Antal Zalai e, para fechar, a Orquestra Acadêmica. Na Empem (Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernest Mahle), jovens instrumentistas apresentaram parte de resultado dos ensaios, em formações solo, duo, quarteto, quinteto. “Desde a primeira edição, o Feimep mostrou-se um festival democrático, que dá oportunidade a todos que querem estudar e se aperfeiçoar na música erudita. Piracicaba sempre lhes acolherá de braços abertos”, afirmou a secretária da Ação Cultural, Rosângela Camolese.

O Feimep recebeu alunos como o violinista Paulo Galvão, 22 anos, pela quarta vez no Feimep e, pela segunda vez ocupando o posto de spalla da Orquestra Acadêmica. Como primeiro-violino da orquestra, o paulistano teve que envolver-se mais nos ensaios para compreender a técnica de cinco regentes diferentes. “Foi algo inédito ter a regência de alunos. Foi bom para eles treinarem e para nós, instrumentistas, conhecer-mos gestos e movimentos diferentes”, relatou.

A primeira parte do concerto teve a regência de cinco alunos do 1º Encontro de Jovens Regentes, ministrado por Jamil Maluf durante o festival: Samuel Krähenbühl, César Martini, Willian Lentz, Natalia de Souza Larangeira e Ivan Bueno. Cada um fez a regência de um dos movimentos da obra Holberg Suite, de Edvard Grieg. Na segunda parte, Maluf regeu a peça Saint Paul’s Suite, de Gustav Holst, arrancou aplausos da plateia e retornou ao palco para reger novamente um dos movimentos da peça.

APRENDIZADO – Além da programação artística, o festival recebeu 129 estudantes de 45 cidades brasileiras espalhadas por oito Estados do país. Eles participaram de masterclasses em violino, violoncelo, viola, contrabaixo, piano e regência. Atuaram como docentes a canadense Vèronique Mathieu, o húngaro Antal Zalai, a japonesa, radicada nos Estados Unidos, Jasmin Arakawa, o carioca Fábio Presgrave, o paulistano Sérgio de Oliveira, além dos representantes de Piracicaba, André Micheletti, Jamil Maluf, Alexandre Razera e Cláudio Micheletti. “Da simplicidade nascem as grandes obras da humanidade. A elitização na faz parte do Feimep. Elitismo e erudição são contradições. A doação desses professores e o empenho desses ávidos alunos nos mostra isso”, disse Micheletti.

O 6º Feimep foi realizado pelo Jornal de Piracicaba, Revista Arraso e Semac e contou com o apoio do Sesi, Senac, Associação Amigos Mahle, Orquestra Sinfônica de Piracicaba, Empem, rádio Educativa FM, Secretária Municipal de Educação, jornal A Tribuna Piracicabana, Center Flat Service, Maison Vivenda Buffet, Acipi (Associação Comercial Industrial de Piracicaba), Frias Neto Consultoria de Imóveis, Coplacana, Pousada Central, Pousada do Engenho, Bom Jesus Hotel, Di Pappi Padaria e Confeitaria e Restaurante Tomate Seco.

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: