Skip to main content

Memorial é aberto após dois anos de pesquisas

Da empresa de canoas inaugurada no ano da fundação de Piracicaba, em 1767, até a chegada das últimas indústrias na cidade. A história do empreendedorismo piracicabano é contada em detalhes por meio de painéis, fotos, arquivos de jornal, vídeos e monitores digitais que fazem parte do Memorial do Empreendedorismo, inaugurado ontem na sede da Acipi. Os acervos que abastecem o novo museu, 90% em forma digital e 10% em forma física, foram retirados de 14 das principais instituições de Piracicaba.

EMPREENDEDORISMO Museu na sede da entidade destaca empresas pioneiras ao longo da história da cidade

Após 2 anos de pesquisas, Acipi inaugura memorial

Da empresa de canoas inaugurada no ano da fundação de Piracicaba, em 1767, até a chegada das últimas indústrias na cidade. A história do empreendedorismo piracicabano é contada em detalhes por meio de painéis, fotos, arquivos de jornal, vídeos e monitores digitais que fazem parte do Memorial do Empreendedorismo, inaugurado ontem na sede da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba).

Os acervos que abastecem o novo museu — 90% em forma digital e 10% em forma física — foram retirados de 14 das principais instituições de Piracicaba. Além do Jornal de Piracicaba, também colaboraram com informaçõesnsobre a história do empreendedorismo na cidade a Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), o Ipplap (Instituto de Pesquisa e Planejamento de Piracicaba), o Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, o Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba, o Centro Cultural Martha Watts – Instituto Educacional Piracicabano, o Centro de Comunicação Social da Prefeitura, a Associação de Santa Olímpia, a família D’Abronzo e as empresas Dedini, Mausa, Raízen e Krahenbuhl S/A Comércio e Importação.

Ao todo, foram dois anos de pesquisas lideradas pela historiadora Marly Therezinha Germano Perecin, que destacou incansável trabalho em equipe para tornar o projeto possível. “A Acipi acertou em cheio e fez uma obra pioneira. A linha do tempo pode ser dividida em duas partes: antes e depois da criação da Associação. Foi a Acipi quem dinamizou o empreendedorismo em Piracicaba e alavancou o progresso do comércio e da indústria”, afirmou em coletiva de apresentação do memorial à imprensa.

Para o presidente da entidade e idealizador do projeto, Jorge Aversa Junior, o memorial é um sonho que se realiza. “Como entidade que prega o empreendedorismo, a Acipi não podia deixar passar em branco quem fez parte dessa história. Foi um trabalho que uniu a entidade como um todo. Todos os funcionários tiveram uma parcela de colaboração”, ressaltou.

O segundo vice presidente da Associação, Euclides Baraudi Libardi, destacou a importância do memorial como forma de resgatar a história de quem fez história na cidade. “O memorial vai trazer à tona quem foram os verdadeiros empreendedores. Nossa intenção é resgatar a história de pessoas injustiçadas pelo tempo”, disse.

Para a diretora cultural da Acipi, Celisa Amaral Frias, o memorial deve entrar para a história de maneira especial. “É o que o mundo quer hoje: informações rápidas e interativas. E isso, o memorial oferece.” O investimento total na estrutura do espaço ainda não foi divulgado pela Associação. Mas Aversa garante que todo o material que compõe o memorial foi adquirido sem custos à Acipi. “O custo maior foi mesmo com os equipamentos (televisores e projetores) porque o acervo retirado de todas as instituições consultadas foi gratuito. Ainda não conseguimos fechar o total investido, mas vamos divulgar em breve”, afirmou.

Como últimos detalhes, Aversa ainda afirmou que também precisam ser revistos horário de funcionamento e agendamento de visitas, que serão monitoradas.

DESENVOLVIMENTO Com acervo 90% digitalizado, será possível acrescentar informações e tornar museu sempre atual com dados sobre empreendedorismo na cidade

Memorial terá atualização constante

O Memorial do Empreendedorismo na Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba) foi projetado para ser constantemente atualizado. Inspirado nos museus paulistanos do Futebol, da Língua Portuguesa e do Catavento, o acervo disponibilizado no memorial tem 90% de seu material digitalizado e apenas 10% físico.

“É um memorial que pode ser alimentado a vida toda. Ele não tem fim. Como é digital, pode ser atualizado constantemente com fatos marcantes e interessantes sobre o empreendedorismo em Piracicaba. Mesmo quem tiver em casa informações sobre o desenvolvimento da cidade nos últimos anos e quiser colaborar com o abastecimento do acervo, pode”, afirmou o presidente da Acipi, Jorge Aversa Junior.

De acordo com ele, a ideia do memorial surgiu durante uma palestra da professora Marly Therezinha Germano Perecin, na sede da Acipi, há dois anos. “Ela falava sobre a chegada dos imigrantes italianos em Piracicaba e foi então que começamos a enxergá- los como os primeiros empreendedores. Ao fim da palestra, fui conversar com ela se poderia nos ajudar no projeto e ela prontamente aceitou”, relatou.

As pesquisas, segundo o presidente da Associação, começaram no mesmo ano e, em dois anos, parte do acervo estava pronto. A outra parte, ainda segundo Aversa, é das histórias que ainda estão por vir. Entre os fatos mais marcantes disponíveis no memorial estão a criação da Acipi, em 1933, considerada por Marly um marco no empreendedorismo piracicabano, a chegada de grandes empresas e o início da diversificação do parque industrial, na década de 40, a criação do Distrito Industrial Unileste e a chegada da Caterpillar na década de 70 e a criação do Parque Tecnológico em 2005.

Conforme Aversa, 90% do acervo estão digitalizados e com fotos, anúncios e artigos do Jornal de Piracicaba que podem ser acessados por meio de três totens digitais localizados no centro do museu. Os totens ainda trazem informações institucionais sobre a Acipi. “Nós da Acipi estamos muito felizes com o resultado do projeto”, declarou.

EDUCAÇÃO — Para Marly, o memorial auxilia na própria educação. “Atualmente, vivemos uma fase em que tudo deve ser assimilado rapidamente, com um conceito dinâmico e fácil. E o Memoria do Empreendedorismo atende a essa necessidade.”

Durante a inauguração do memorial, na noite de ontem, o diretor responsável pelo JP, Marcelo Batuíra Losso Pedroso falou em nome das pessoas que, de forma direta e indireta, contribuíram com informações, imagens e acervo para a montagem do memorial.

“O importante é que, pela primeira vez, estamos vendo a história de outra maneira. Estão sendo corrigidas algumas injustiças com os grandes atores do desenvolvimento de Piracicaba. O grande mérito do memorial é trazer para o presente a história desses empreendedores, que estão tendo seu devido valor reconhecido. Empresário e empreendedor não são sinônimos. Empreendedorismo é a característica de pessoas que contribuíram para uma ideia se tornar realidade.”

O prefeito Barjas Negri (PSDB) também acompanhou a inauguração do memorial e destacou a iniciativa da Acipi. “Boas ideias são aquelas que saem do papel. Piracicaba tem mais de 370 mil habitantes. É uma cidade formada por trabalhadores que assumiram riscos e ajudaram o desenvolvimento com coragem e ousadia”, afirmou.

Coluna Social

FONTE: Jornal de Piracicaba

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: