Skip to main content

Mercado de locação de imóveis está aquecido antes da alta temporada

HABITAÇÃO Procura, que normalmente se concentra no primeiro trimestre do ano, tem sido reforçada pela instalação de novas empresas no município

PAOLA RIBEIRO

O estudante Fábio Martins Chueri, 25, divide umapartamento como irmão no Bairro Alto: aluguel passou de R$ 300 para R$ 420

Antes mesmo do período de alta temporada, o mercado de locação de imóveis em Piracicaba já está bastante aquecido. A maior procura, que normalmente se concentra no primeiro trimestre do ano, com a vinda de estudantes de outras cidades, tem sido reforçada pela instalação de novas empresas no município. De acordo com imobiliárias consultadas pelo JP, a demanda por alugueis deve continuar firme ao longo de 2012, sustentando os preços em patamares de 20% a 30% superiores, comparados aos praticados no ano passado.

Gerente de locação de uma imobiliária instalada na região central da cidade, Liliany Regina Araújo estima um incremento de 50% nos negócios fechados já no início de 2012. “A procura pelo aluguel costuma ser intensificada em janeiro, quando saem os resultados da maioria dos vestibulares”, disse. Segundo Liliany, o maior interesse é por apartamentos mais compactos, com até dois dormitórios, no intervalo de R$ 500 a R$ 700. Os bairros mais procurados são Jardim Elite, Vila Independência, São Dimas, São Judas, Bairro Alto, Centro, pela proximidade com vias de fácil acesso a universidades e empresas.

Na área central, o valor mínimo de uma locação, em setembro, foi de R$ 250 para uma casa de um ou dois dormitórios, com o máximo chegando a R$ 780 (dois dormitórios), conforme levantamento do Creci-SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo). No caso de um apartamento com três dormitórios, os preços oscilam de R$ 920 a R$ 1.300. Para um ou dois dormitórios, os máximos e mínimos são de R$ 800 e R$ 500, respectivamente.

Desde 2006, o estudante de ciências econômicas Fábio Martins Chueri, 25, divide um apartamento com o irmão no Bairro Alto, onde permanecerão no próximo ano. “Uma das principais vantagens que vejo é justamente o preço. O nosso imóvel não subiu muito nesses cinco anos. Começamos pagando R$ 300 e hoje o valor está em R$ 420. Sabemos de apartamentos no mesmo prédio que já estão sendo alugados por R$600”, disse o universitário.

EMPRESÁRIOS — A locação também é a preferência entre aqueles que vêm de fora para trabalhar em Piracicaba. “Estamos sentindo um mercado bastante aquecido. Empresas como Hyundai e Raízen estão contratando muitas pessoas de outras cidades e elas precisam de um lugar para morar.

Em vez de comprar algo, preferem alugar, para fazer uma espécie de teste. Se der certo, ficam de vez”, afirmou o gerente de locação de uma imobiliária do Bairro dos Alemães Anderson Travaglini. Focada no atendimento do público empresarial, a loja onde ele trabalha tem alugado mais casas em condomínios fechados, principalmente no Terras de Piracicaba, para famílias com quatro pessoas, em média. Nesses casos, os valores oscilam de R$ 6 mil a R$ 12 mil.

Em meio a esse cenário, a pergunta que fica é se haverá oferta suficiente para atender a toda demanda. Na avaliação de José Fernando Fonseca, diretor de gestão organizacional de uma imobiliária sediada no bairro Cidade Jardim, a resposta é sim. “O volume disponível de apartamentos não era grande até então, mas isso vem mudando com os lançamentos que chegam a Piracicaba”, afirmou. Santa Rosa, Taquaral, Campestre e Santa Teresinha são alguns dos bairros que vêm se expandindo com ofertas para locação.

Creci dá dicas importantes

Uma das orientações do Creci-SP é visitar o imóvel antes de fechar o negócio. A visita permite saber qual é o estado real da propriedade, as características da vizinhança, além das condições dos equipamentos domésticos. Caso não possa fazer a visita, o interessado deve pedir ao corretor responsável pelo contrato, fotos do imóvel (digitais, por e-mail). A maioria dos corretores e imobiliárias dispõe desse recurso.

Outra providência importante é fazer contrato para o aluguel do imóvel, mesmo que a locação dure só uma semana. Neste contrato devem constar as datas de entrada e saída do inquilino, o valor, a forma de pagamento, eventuais multas para os casos de atraso ou depredação e até o número de pessoas que vão ficar no imóvel. No contrato também deve constar o número de copos, talheres, pratos e outros utensílios que estejam à disposição do inquilino na casa ou no apartamento. Na data de entrada do inquilino no imóvel, deve-se verificar se tudo está de acordo com o especificado no contrato, repetindo-se o procedimento na saída.

Proprietário e inquilino devem ainda procurar um corretor de confiança. Caso ainda não conheçam profissionais ou imobiliárias, devem procurar informações nas Delegacias do Creci. (PR)

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: