Skip to main content

Pesquisa Exame revela que cidade está entre as mais desenvolvidas do Brasil

ImagemPor José Ricardo Ferreira | Gazeta de Piracicaba

Entre as 100 melhores do Brasil, o município de Piracicaba figura com destaque em 35° lugar (com 12,63 pontos) em um ranking de excelência publicado recentemente pela Revista Exame, especializada em assuntos relacionados à economia.

A edição de abril da Exame traz um amplo levantamento, realizado pela consultoria paulista Urban Systems, sobre a situação das cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes no que se refere a investimentos em negócios.

O ranking com as 100 melhores foi elaborado levando em conta 27 indicadores, divididos em sete subcategorias, com pesos diferentes.

As subcategorias levadas em conta foram as seguintes: Sociodemografia (por exemplo, crescimento populacional, população economicamente ativa etc); Economia (crescimento do Produto Interno Bruto, crescimento do número de empresas etc); Saúde (número de leitos por 1 mil habitantes (2013), índice de coleta de esgoto etc); Educação (percentual de trabalhadores formais com ensino superior, número de matrículas no ensino superior etc); Finanças (número de agências bancárias por 10 mil habitantes etc); Transporte (crescimento da frota de automóveis, número de automóveis por 1 mil habitantes etc); Telecomunicações (percentual de conexões de banda larga fixa acima de 12 Mbps em 2013).
Vitória (ES) é o melhor município brasileiro dentro da pesquisa da Exame, somando 17,36 pontos. Em São Paulo, o melhor é Barueri, com 15,45.

Esmiuçando a pesquisa da Exame, é possível observar os melhores colocados em cada estado. Por exemplo, em São Paulo surgem, além de Piracicaba em 35°, os seguintes municípios: 4° lugar Barueri – 15,45 pontos; 7° São Caetano do Sul – 15,11; 17° Jundiaí (SP) – 13,98; 18° São Paulo – 13,77; 19° Campinas – 13,67; 22° Santana de Parnaíba – 13,37; 23° Santos – 13,34; 29° Sorocaba – 12,99; 32° São Bernardo do Campo – 12,82; 38° São José do Rio Preto – 12,55; 44° São José dos Campos – 12,45; 45° Valinhos – 12,37; 47° Ribeirão Preto – 12,34; 48° Itapevi – 12,33; 50° Hortolândia – 12,27; 52° Presidente Prudente – 12,18; 55° Bauru – 12,06; 58° Santo André – 12,04; 59° São Carlos – 11,94; 64° Indaiatuba – 11,83; 67° Araraquara – 11,76; 69° Guarulhos – 11,74; 72° Cotia – 11,70; 80° Botucatu – 11,59; 87° Osasco – 11,43; 90° Itu – 11,37; 96° Americana – 11,28; 97° Barretos – 11,27 e 98° Araras com 11,25 pontos.

Piracicaba, com 364,5 mil habitantes, conforme o IBGE, ficou à frente de municípios com maior número populacional, como Osasco – com 666, 7 mil e São José do Rio Preto, com cerca de 408, 2 mil habitantes.

Na pesquisa há também as cidades melhores por segmento. Por exemplo, no Desenvolvimento Econômico, Parauapebas (PA) obteve 7,46 pontos em um cálculo entre 0 e 14. Rio das Ostras (RJ) tem o melhor índice de Desenvolvimento Social (3,64 pontos) numa contagem entre 0 e 5 pontos de nota. São quatro segmentos nesse item específico e Piracicaba não surge em nenhum deles. A Exame com essa pesquisa nacional é a de número 8 da edição de 30 de abril. O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Tarcisio Angelo Mascarim, disse, ontem, que a pesquisa é fiel à realidade de nosso município e o esforço é melhorar o ranking a cada ano.

Prefeitura

Mascarim frisa a ‘diversidade’

A diversidade econômica é um dos aspectos que levaram o município a ficar entre os melhores do País no ranking da Exame, segundo analisou, ontem, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Tarcisio Angelo Mascarim. Ele citou que o parque automotivo da Hyundai – em operação desde o final de 2012 -, evitou que Piracicaba ficasse presa a apenas um segmento econômico, no caso o sucroenergético da cana de açúcar. De acordo com ele, esse setor hoje responde por 40% da economia da cidade contra 80% no passado. Ele torce para que a cana-de-açúcar volte a crescer e com isso aumente a economia da cidade. Hoje, o setor automotivo gera 6 mil empregos na cidade. Mascarim ainda destacou que o município já trata 100% de seu esgoto, o que o destaca no saneamento público e isso atrai investimentos. “Somos a segundo a chegar aos 100% em São Paulo. A primeira foi Jundiaí”, citou. (JRF)

Gazeta de Piracicaba | 02.05.2014

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: