Skip to main content

Piracicaba é a segunda com melhor gestão municipal

Piracicaba é a segunda colocada no ranking geral do Índice ‘Desafios da Gestão Municipal’ (IDGM), da consultoria Macroplan, referente ao ano de 2015. O município subiu 12 posições com relação ao resultado da primeira pesquisa, feita em 2005. O Estudo apresenta um quadro sobre o desempenho das 100 maiores cidades do Brasil, que representam metade do PIB brasileiro ((Produto Interno Bruto).

Para Angelo Frias Neto, diretor-presidente da Frias Neto Consultoria de Imóveis e diretor estadual do Secovi (Sindicato Patronal da Habitação), a posição de destaque obtida por Piracicaba no estudo, frente às maiores cidades do país, revela o nível de excelência na gestão municipal e justifica o fato de a cidade chamar a atenção de investidores do setor imobiliário e de empresas de categoria mundial.

“Uma cidade que caminha alinhada na sua administração, garante as melhores condições para a instalação empresas, por conta do atendimento às demandas geradas por esse crescimento”, avalia Fria Neto, que também é presidente do Conselho Consultivo da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba).

O Índice Desafios da Gestão Municipal (IDGM) agrega 16 indicadores em quatro áreas: Educação e Cultura, Saúde, Segurança e Saneamento e Sustentabilidade. No ranking geral, a cidade obteve o índice 0,721.

No indicador Educação, a cidade ficou com a primeira colocação, com nota média 0,645. Há uma década, estava na 22ª colocação, com índice 0,442. Nesse indicador são avaliados os percentuais de crianças de zero a três anos de idade matriculadas em creches; o de crianças de quatro a cinco anos matriculadas na pré-escola; o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Ensino Fundamental ciclos I e II.

Piracicaba também evoluiu em Saúde. Estava na 36ª colocação em 2005, com índice 0,535 e passou para a 21ª posição, em 2015, com média 0,630. A consultoria analisou nesse indicador as taxas de mortalidade prematura por doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) – no qual a cidade ficou na 45ª colocação entre as 100 maiores – e de mortalidade infantil (por mil nascidos vivos), na 30ª posição; cobertura das equipes de atenção básica (36ª) e a proporção de nascidos vivos de mães com sete ou mais consultas de pré-natal (14ª).

No indicador de saneamento e sustentabilidade, Piracicaba evoluiu da 12ª posição, em 2005, para a sétima, em 2015. O município está na primeira colocação em índice de esgoto tratado, com 100% de tratamento do efluente que é coletado. No entanto, ficou na 85ª colocação na análise do índice de perdas de água na distribuição.

Apesar dos bons resultados, a cidade caiu no indicador Segurança: da 17ª posição em 2005, com média 0,850, para a 22ª, em 2015, com índice 0,855.

(com informações da Gazeta de Piracicaba)

Foto: skyscrapercity

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: