Skip to main content

Valor de cobertura pode chegar a R$ 3 milhões em Piracicaba

11-03-2015 NP_Classificados Imeis 001 a 010 - Pag¥(1 a 10¥)

 

Quem pensa em viver em uma cobertura em Piracicaba pode preparar o bolso. Levantamento feito pelo Secovi a pedido do Jornal de Piracicaba aponta que viver nas alturas pode custar de R$ 250 mil a R$ 3 milhões, segundo Angelo Frias Neto, diretor regional do sindicato. Segundo ele, ao mesmo tempo em que a oferta de coberturas é escassa na cidade, a demanda também é pouca por esse tipo de moradia.

Frias Neto explica que a baixa oferta existe porque cada condomínio tem apenas de uma a quatro coberturas. “As coberturas representam um percentual muito pequeno no mercado imobiliário. Ela acaba sendo a cereja do bolo do prédio, por isso existe tanta disparidade de preço”, afirmou.

Podendo custar até R$ 3 milhões, as coberturas atendem as necessidades de um público seleto. “A demanda por coberturas é pouca, porque uma minoria busca esse tipo de moradia. O morador de cobertura tem um estilo de vida diferenciado”, disse.

Para Frias Neto, dois fatores são determinantes para a escolha de uma cobertura: não abrir mão de um espaço de lazer ao ar livre, mesmo morando em apartamento, e ter um hábito de receber amigos em casa e fazer reuniões e festas. “A pessoa busca um espaço maior para o lazer, não tão restrito quanto uma varanda. As coberturas dão uma sensação de amplitude”, relatou.

Coberturas têm entre 105 e 1.000 metros quadrados e a maioria possui piscina. “Atualmente existem opções de coberturas até em prédios de quatro andares. A cobertura deixou de ser oferecida apenas em prédios de alto padrão”, afirmou Frias Neto.

DESPESAS – De acordo com o diretor do Secovi, o preço das coberturas é de 1,5 a 2,5 vezes maior do que de um apartamento convencional e varia de acordo com o tamanho e a sofisticação do imóvel. “Existem coberturas personalizadas com acessórios sofisticados, mármore, ar-condicionado central, espaço gourmet.”

Além de custarem mais, as coberturas oferecem mais despesas aos proprietários. “As despesas com condomínio e IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) são de 1,5 a 2,5 maiores para os proprietários de coberturas. A área é maior, portanto você paga mais”, relatou Frias Neto.

A manutenção também é maior, porque a cobertura possui uma área externa com piscina, churrasqueira e jardins. “O comprador tem de ter consciência que a área descoberta precisa sempre ser cuidada. A manutenção das coberturas é muito parecida com a das casas.”

Outro detalhe das coberturas é que o elevador vai até o primeiro andar do imóvel. A escada para subir no andar superior, Frias Neto ressalta, pode ficar dentro do apartamento ou na área externa, dependendo do projeto do prédio.

Com tantos atrativos, esse tipo de imóvel chama a atenção, mas para o empresário, o sonho de ter uma cobertura deve ser concretizado somente após a análise de todos os pontos citados. “A ideia de ter uma cobertura pode ser uma ilusão. As reuniões e festas não vão ocorrer todos os dias e o espaço de lazer pode ficar abandonado. E o custo para se manter uma cobertura é alto. Por isso, meu conselho é: invista numa cobertura se não tiver dúvidas.”

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: