Skip to main content

GeoSecovi poderá ser instalado na cidade

geosecoviO Secovi (Sindicato da Habitação de São Paulo) estuda expandir para Piracicaba o GeoSecovi, uma ferramenta de geoprocessamento – formado por mapas e coordenadas – que permite o cruzamento de informações socioeconômicas sobre determinada região para orientar os empresários do setor imobiliário na tomada de decisões nos negócios. Essa ferramenta é bem abrangente e será implantada no prazo de um a dois anos em cidades com mais de 300 mil habitantes, como no caso de Piracicaba.

O GeoSecovi já está disponível na capital paulista. As primeiras tentativas para implantar o sistema em Piracicaba já foram feitas com o Ipplap (Instituto de Pesquisas e Planejamento de Piracicaba) e a discussão será ampliada com a prefeitura. As revelações foram feitas pelo vice-presidente do interior do Secovi, Flávio Augusto Ayres Amary, e pelo conselheiro e representante do sindicato na cidade, Angelo Frias Neto, em visita ao Jornal de Piracicaba.

O representante do Secovi na cidade informou que já fez o primeiro contato com o Ipplap para abordar o assunto. Segundo Amary, há disposição de prestar este serviço à comunidade, mas é necessário o envolvimento da prefeitura para obtenção dos dados que alimentarão o sistema. Esta é uma das iniciativas para fortalecer o sindicato no interior. O sindicato engloba 17 mil  empresas e 40 mil condomínios. Amary disse que esta nova ferramenta disponível no site do sindicato faz cruzamento de informações de dados oficiais. Basta o internauta clicar no quarteirão desejado para ter informações como população, renda, escolaridade, entre outros dados que podem ajudar os empresários a direcionarem seus negócios.

O geoprocessamento é uma ferramenta voltada ao mapeamento e diagnóstico da produção imobiliária. Esses sistemas manipulam dados de fontes como mapas, cadastros, tabelas, possibilitando recuperar e combinar informações para efetuar os tipos de análise sobre os dados.

APROXIMAÇÃO – A partir de agora, o Secovi estreitará o relacionamento com o interior, inclusive para a difusão de ideias e projetos de aprimoramento do empresário do setor imobiliário. Entre estas iniciativas está o projeto Gentilezas Urbanas, em parceria com o jornalista Gilberto Dimenstein, para aproximar o mercado imobiliário das pessoas. Uma das iniciativas é realizar um concurso de fotos sobre temas como bicicletas, urbanismo, calçadas e praças. Outra proposta do Secovi é a integração das incorporadoras com a comunidade vizinha a empreendimentos para amenizar os transtornos causados por obras e até mesmo realizar consertos em casos de danos nas moradias. Desta forma, a intenção é criar uma relação de empatia com as empresas. Amary afirmou que a intenção é expandir as parcerias nos municípios para divulgar os projetos e viabilizar as iniciativas.

Frias Neto disse que o objetivo também é levar conhecimento aos empresários do setor, para informar sobre as melhores práticas existentes no Brasil e no mundo. Esta troca de experiências permitiu o lançamento do programa Minha Casa, Minha Vida em Angola, copiado do Brasil, que viabilizou a construção de um milhão de moradias no país africano. Também será feito um intercâmbio com a Universidade Columbia para discutir a sustentabilidade dos municípios.

Fonte: Jornal de Piracicaba

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: