Skip to main content

Piracicaba é destaque na mídia como sendo um município em franco crescimento

Imagem

Por MARCELO ROCHA | Especial para a Gazeta

O município de Piracicaba foi citado na última edição da revista Você S/A – publicação da editora Abril sobre carreira e finanças pessoais – como uma das cidades do interior paulista que, atualmente, desfrutam uma onda de crescimento econômico e de criação de postos de trabalho. E que, simultaneamente à abertura de vagas de trabalho, a cidade oferece opções na área da educação e qualidade de vida.

A reportagem em questão (edição do mês de outubro) traz personagens do êxodo das grandes metrópoles em direção às cidades do interior, traça um mapa de oportunidades no Estado, cita a pujança econômica de Campinas e menciona o crescimento de Piracicaba no setor da autoindústria.

O secretário do Desenvolvimento, Tarcisio Angelo Mascarim, comentou a situação de Piracicaba. “Apesar da estagnação desde a crise de 2008, que se abateu sobre o principal setor da economia de Piracicaba, que é o setor sucroenergético, por falta de políticas públicas adequadas, cujo setor respondia por 60% da economia local, Piracicaba continua preferida para a instalação de empresas por ser um ‘cruster’ de empresas, universidades, escolas técnicas, parque tecnológico e tem uma economia diversificada com a instalação do parque automotivo, que compensou a perda do setor sucroenergético”, diz o secretário.

Mascarim mapeou a economia piracicabana e destacou a força do emergente setor automotivo. “Atualmente, a economia piracicabana está 40% voltada para o setor sucroenergético, 30% para o setor automotivo e 30% para o setor diversificado”, acrescenta.

Somente a implantação da fábrica da Hyundai na cidade, conta o secretário, gerou cinco mil novos empregos diretos e indiretos – só na montadora são 2.400 postos de trabalho efetivos.

Segundo a Você S/A, o desembarque de grandes montadoras em cidades paulistas vem provocando o aumento dos salários locais. Em Piracicaba, informa a revista, esse aumento foi de 10,7% – antes da chegada da Hyundai, a média salarial na indústria local era de R$ 1.825,79, valor que passou a R$ 2.021, 58

Hoje, o interior oferece um maior número de vagas do que a capital – em 2013, são 26.209 postos no interior paulista contra 22.313 na Grande São Paulo.

Em 2011 e 2012, a quantidade de vagas no interior e na capital era a mesma – cerca de 23mil em 2011 e 24mil no ano seguinte.

O secretário lista alguns aspectos que tornam Piracicaba um polo atraente. “Piracicaba possui duas escolas Senai, Fatec, Etec e Instituto Federal, além de faculdades e universidades, todas voltadas para a qualificação de mão de obra”, afirma.

“Piracicaba sempre se preocupou em formar mão de obra qualificada, tendo em vista que tem um parque industrial que necessita dessa mão de obra. Portanto, ela vai continuar atraindo empresas para o seu desenvolvimento”, acrescentou Mascarim.

AVALIAÇÃO

Na opinião do economista Ivens de Oliveira, o momento econômico de Piracicaba realmente é positivo. “Na minha percepção, estamos numa conjuntura favorável”, declara. “A cidade registra altos índices de crescimento econômico, principalmente da indústria”, avalia.

A boa fase, diz o especialista, gera empregos e uma demanda por funcionários com maior grau de qualificação. “Isso se reflete no aumento do padrão de consumo e na melhoria da qualidade de vida”, analisa.

No entanto, lembra Oliveira, a vinda de novas empresas e oportunidades de em- prego exigem, cada vez mais, mão-de-obra qualificada.

“A partir do momento em que a cidade atrai mais empresas e investimentos, isso proporciona uma arrecadação maior e uma massa salarial maior, fatores que refletem no poder de compra e no consumo. Consequentemente, faz com que tenhamos uma dinâmica econômica cada vez maior”, diz o economista.

SERVIÇOS SOCIAIS

O economista Ivens de Oliveira, porém, lembra que o crescimento econômico pode gerar efeitos colaterais ao município se este não se preparar em algumas frentes.

“O crescimento econômico vai, cada vez mais, gerar uma demanda maior por serviços públicos”, relaciona o especilialista. “Não se pode esquecer que há o impacto na área social, por exemplo nos sistemas públicos de saúde e educação, e também no trânsito. É preciso, então, haver investimento e aumento de infraestrutura para atender essas novas demandas” , observa.

EXPLICAÇÃO HISTÓRICA

Para o economista e professor da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) Francisco Crócomo, existe uma razão histórica que justifica o crescimento de Piracicaba. “A cidade tem forte dinâmica nos setores de atividade econômica, principalmente no setor de transformação industrial, com grande importância na formação e qualificação de mão de obra. Também se destaca pelas suas universidades e institutos de desenvolvimento tecnológico. Por outro lado, está localizada perto dos grandes centros do Estado”, diz.

O crescimento econômico produz impactos positivos no comércio e na área de serviços, lembra Crócomo. “Existe um grande incremento, por outro lado existe uma grande especulação imobiliária, mais poluição, grande demanda de água e serviços de saneamento, além dos transtornos no trânsito”, declara o economista.

Fonte: Gazeta de Piracicaba | 29.10.2013

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: